NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL através da SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE setor de VIGILÂNCIA EM SAÚDE/PROGRAMA DE IMUNIZAÇÕES vem através desta, esclarecer a notícia publicada sobre o primeiro caso confirmado de Influenza H3N2 do município de Ibiraiaras.

O caso é referente a uma paciente de 40 anos, não vacinada, internada no Hospital São Paulo no dia 23 de maio, onde foi submetida à coleta de secreção nasofaríngea e recebendo os cuidados conforme protocolo em casos suspeito de gripe A.

Apesar de se tratar de um tipo de gripe A, a H3N2 é uma gripe sazonal comum para a época do ano e que não apresenta os mesmos riscos da H1N1.

H1N1 – Influenza A H1N1 (pandêmica 2009). Esse vírus causou uma pandemia mundial no ano de 2009. Os vírus do tipo A tem grande capacidade de mutação genética, podendo gerar surtos em nível mundial.

H3N2 – Influenza A sazonal H3N2. Não provoca pandemias. O número de casos é esperado para a época de sazonalidade, que no Brasil é nos meses de outono e inverno.

Em relação à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o H3N2 também se mostra mais forte em 2017. Essa síndrome gripal se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, dor de cabeça, dores musculares, tosse, dor de garganta e fadiga, é a manifestação mais comum. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização.

Os casos de gripe já registrados no Brasil em 2017 apontam para um crescimento da incidência do tipo H3N2 do vírus influenza, de acordo com o Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe), do Ministério da Saúde. Até a décima semana deste ano, as amostras pesquisadas apontaram que mais de 63% das ocorrências de influenza apresentaram o tipo H3N2 (apenas são realizados exames em pacientes hospitalizados).

 

 

Emilene Castelani

Enfermeira Coordenadora das Imunizações da Unidade Básica de Saúde

Secretaria Municipal de Saúde de Ibiraiaras

Fonte: Assessoria de Imprensa Prefeitura de Ibiraiaras